mídia - artigos
Data não mencionada

A natureza do Chi Sau

 

Fuk Sau, Taan Sau, Bong Sau são posições básicas, formas de braço necessárias à prática do CI SAU - ou chi sau, em mandarim - (braços colados, ou pegajosos), exercício para o desenvolvimento da sensibilidade, percepção e concentração mental dentro do estilo WING CHUN.

 

Executado a dois, o ci sau ajuda a desenvolver no praticante, estratégias de combate que podem ser testadas em situações diversas. É de suma importância a não utilização da força bruta, intencional. Com isso não quero dizer que não há força. A essa força chamo-na FIRMEZA. A energia (chi, ou hei em cantonese) deve ser direcionada à frente de forma que haja fluidez, transição de um movimento a outro. Ombros, braços, antebraços devem estar sempre relaxados, soltos, porém firmes.

 

BUSCANDO BRECHAS

 

Durante a transição de uma manobra a outra devemos observar, sentir as possíveis falhas do outro e, uma vez detectadas atacamos. Esse ataque geralmente não é pré-determinado, deve ser sim, um disparo natural proveniente do direcionamento da energia vital. Explico: Imagine essa energia como sendo uma torrente de água, um forte riacho. Ela não se prende, não tem vontade própria, e assim sendo, escorrega, desliza e penetra aonde tiver buraco, brecha. As referidas brechas são as possíveis falhas do oponente. Durante o percurso do CHI (riacho) vários empecilhos são encontrados. Tais empecilhos são as defesas, barreiras e contra ataques executadas pelo adversário. A água, quando impedida, impossibilitada de seguir seu curso mantém pressão firme, sempre para frente. Assim deve ser os braços do praticante de wing chun. Quando a ponte (braços do oponente) apresenta uma falha num outro lugar, toda a energia proveniente do Grande Riacho flui agressivamente para lá. Assim devem ser os ataques em forma de socos, tapas, ataques com palmas, cotovelos etc.

 

RELAXE, FLUA!

A prática do Ci Sau não deve ser mecânica. WING CHUN é um estilo vivo. Portanto, o praticante não deve nunca se prender a nada. Muito menos à forma. A forma correta é consequência, evolução da prática dos princípios do estilo. Sem a forma não haverá princípios, sem princípios não haverá estratégias. Sem estratégias o WING CHUN seria igual a qualquer outro estilo marcial. Aprendemos a forma. Depois a esquecemos, sem nos esquecermos.


Complicado, não é? Nem tanto

 

A prática do Ci Sau é uma constante busca pelas falhas do outro. Com a observação das falhas aprendemos a nos guardar, a manter a nossa linha central protegida. Não fique ansioso em atacar o seu oponente. A ansiedade é ruim. Não espere por nada. Responda quando for perguntado, ataque quando surgir uma brecha, um erro. Relaxe os ombros. A contração muscular somente irá retardar suas respostas, suas ações. Além de provocar travamento no disparo de uma técnica.

 

Lembre-se: ci sau - ou chi sau - não é a mecanicidade do movimento. É a expressão da essência do WING CHUN KUNG FU.

 

Pratique constantemente. Um dia ela (a essência) virá, será experimentada, sentida.

 

Erasmo Deterra